quarta-feira, 9 de março de 2016

Cinco riscos que se corre ao colocar silicone

Em busca de deixar os seios maiores, mais firmes e bonitos, a mamoplastia de aumento ou também conhecida como cirurgia de aumento de mama é a segunda cirurgia mais realizada no país do bumbum. Mas muitas mulheres se deixam levar pelos benefícios de uma melhora na autoestima e se esquecem dos riscos de uma cirurgia.

Desde a década de 60, quando foi inventado o silicone, as transformações e melhorias na qualidade do produto trouxeram mais tranqüilidade às mulheres que desejam realizar a operação. Por isso, procurar uma clínica e um médico de confiança deve ser o primeiro passo para uma cirurgia sem 
complicações.

Mas... Mesmo com toda tecnologia na qualidade do produto, ainda existem alguns riscos. Então vamos a eles:

1. Como toda cirurgia onde se coloca um objeto estranho dentro do seu corpo, há um grande risco de rejeição. Isso se deve ao fato do corpo criar uma membrana de proteção em torno do silicone. Em alguns casos, a membrana se contrai mais do que o normal, o que pode causar deformidades, dores e/ou um endurecimento da mama. Nos casos mais graves, a alternativa mais viável é a troca da prótese de silicone.

2. A prótese não é 100% confiável. Por isso, em alguns casos pode haver o seu rompimento. Geralmente ocorre quando é exercido algum tipo de pressão contra os seios, como uma batida muito forte. Apesar do gel não se espalhar pelo corpo e ficar retido dentro da própria prótese, a ruptura pode causar deformidades e dores nas mamas. E ao contrário do que muitos dizem, quando o implante se rompe, ele não é capaz de causar câncer ou problemas reprodutivos.

3. Os inchaços, dores e alterações na sensibilidade também podem fazer parte do risco que se corre na busca pelo corpo perfeito. Devido ao fato do corpo estar se adaptando a prótese, no pós-operatório é normal que os seios fiquem inchados por algumas semanas. Também é normal sentir dores na região, e algumas mulheres ainda sentem uma leve perda de sensibilidade na mama temporariamente. Mas em todos os três casos, os sintomas devem desaparecer em algumas semanas. Caso os inchaços, as dores e a sensibilidade não sumam, o médio deve ser procurado imediatamente.

4. Caso a mulher já tenha as mamas caídas ou muitas estrias na região, colocar uma prótese pode piorar a situação, pois a pele pode não aguentar o peso do silicone e ceder, ocasionando o aumento das estrias. Nessescasos, a cirurgia submuscular seria a mais indicada, pois seria retirado o pesosuportado pela própria mama.

5. A infecção é mais comum de ocorrer em mulheres que já fizeram mastectomia - retirada da mama -, mas com os cuidados necessários e seguindo as orientações do médico, o risco de se pegar uma infecção é mínima. Na maioria dos casos, o uso de antibióticos e a assepsia correta é a melhor solução para não ter infecção.

Em todos os casos, se houver alguma dúvida quanto ao tratamento proposto pelo seu médico, procure a opinião de outros especialistas e nunca tente resolver por conta própria.

Veja também ao vídeo da Ariane mostrando detalhes sobre como foi a cirurgia dela:



Um comentário:

  1. Pouca gente sabe mas hoje em dia já tem técnicas de aumentar os seios sem cirurgia.Claro que nao fica tão grande igual o silicone, mas pra pessoas que como eu so querem aumentar um pouco e tem medo de silicone, acho uma boa saída.
    Olhem estes sites:
    http://hotmart.net.br/show.html?a=N4525805H
    http://aumentarseiosnaturalmente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir